Altominho.tv

Trabalhadores oriundos de Itália impedidos de entrar em estaleiros de Viana do Castelo

A WestSea, subsconcessionária dos extintos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), não autorizou a entrada nos estaleiros de trabalhadores com origem em Itália, seguindo recomendações da Direção-Geral de Saúde e do Governo, disse hoje fonte da empresa.

Contactada pela agência Lusa, a fonte do grupo português escusou-se a adiantar mais informações sobre o caso dos trabalhadores que regressaram de Itália e, que terão de cumprir um período de isolamento profilático, como recomenda a DGS.

A WestSea emprega nos estaleiros da capital do Alto Minho “mais de mil trabalhadores”.

Em 2019, a construção do primeiro de três navios oceânicos para a Mystic Cruises, encomendados pelo empresário Mário Ferreira, envolveu mais de “3.500 trabalhadores, de 32 nacionalidades”.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos.

Cerca de 114 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do País, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.