Centro tecnológico portuário “inteligente” vai começar a funcionar em julho

O Port Tech de Viana do Castelo, um centro tecnológico portuário “inteligente”, vai começar a funcionar em julho, na zona empresarial da Praia Norte, anunciou hoje o presidente da Câmara.

“Vamos ter o nosso Port Tech, uma área ligada às  novas tecnologias e à inovação, a funcionar dentro de um mês”, afirmou José Maria Costa à margem da assinatura, na biblioteca da cidade, com a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), da prorrogação, por mais 20 anos, da concessão do parque empresarial da Praia Norte ao município.

Acompanhado pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, o autarca escusou-se a adiantar mais pormenores sobre o novo projeto, referindo “estar a ser ultimada a parceria” que viabilizará a nova infraestrutura.

Já a governante afirmou que “voltará a Viana em julho” para a abertura do Port Tech, sublinhando que o protocolo hoje assinado “é mais um exemplo da fantástica cooperação entre o poder central e do poder local”.

Ana Paula Vitorino destacou que o Governo “está a investir 45 milhões de euros no porto de Viana do Castelo para reforçar a sua competitividade, quer através da construção de uma ligação rodoviária, do aprofundamento do canal de navegação, permitindo o acesso de navios de maior dimensão, e no reforço do terminal comercial”, entre outras ações.

“Estamos a fazer um investimento de 45 milhões de euros, no total, no porto de Viana do Castelo. Isto serve para robustecer a economia da região numa perspetiva de exportação. Para isso temos de criar condições para que as indústrias se possam fixar e desenvolver. Este protocolo vai permitir reforçar a dimensão empresarial ligada ao porto, para justificar as novas oportunidades que estão a ser criadas”, especificou.

Em setembro de 2018, em declarações à agência Lusa, José Maria Costa anunciou que aquele centro tecnológico portuário “inteligente” representa investimento de 300 mil euros, financiado pela Rede Port Tech Cluster, lançada pelo Governo.

Na altura, o autarca socialista, explicou que aquele equipamento fica situado na Praia Norte, “num imóvel que a câmara adquiriu e que será refuncionalizado”.

José Maria Costa acrescentou que aquele centro será dotado de “um conjunto de valências, utilizando as novas tecnologias, e tecnologias mais amigas do ambiente”.

“O centro vai ser criado em ambiente portuário, estando ligado às empresas do setor, próximo do parque eólico flutuante a instalar ao largo de Viana do Castelo e da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)”, disse.

A Rede de Port Tech Cluster foi anunciada em fevereiro de 2018, na Indonésia, pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, durante a quarta edição da World Ocean Summit 2017, conferência sobre os oceanos promovida pela revista The Economist.

Os Port Tech Clusters constituem-se como uma rede de plataformas de aceleração tecnológica para as indústrias avançadas do mar, que se distribui nas áreas das energias renováveis oceânicas, ‘green shipping’ (GNL), navios especializados, robótica e engenharia ‘offshore’, ‘green ports’, portos digitais e náutica de recreio”.

O objetivo da rede Port Tech Clusters “é fomentar a instalação de novas empresas, ‘startups’ e centros de investigação tecnológica nas indústrias avançadas do mar nos portos portugueses, no sentido de criar uma geração empresarial produtora de novas tecnologias e de serviços marítimos inovadores, com forte potencial exportador e de elevado valor acrescentado”.

Fonte: Lusa