Altominho.tv

Bombeiros de Arcos de Valdevez lançam escola de infantes e cadetes

Os Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez vão lançar, em fevereiro, uma escola de infantes e cadetes, dos seis aos 16 anos, como forma de “preparar o futuro da corporação”, disse hoje à Lusa o comandante Filipe Guimarães.

“Com o arranque desta escola estamos a preparar o futuro da corporação, incutindo nestas crianças e jovens o bichinho da profissão de bombeiro”, afirmou à Lusa o comandante daquela corporação do distrito de Viana do Castelo.

Segundo Filipe Guimarães “já estão inscritos oito crianças e jovens”, sendo que a formação irá começar no próximo mês

Com a designação “Pinguinhas”, a escola “tem como principal objetivo promover a instrução inicial para um possível ingresso na carreira de bombeiro, formando os jovens nas temáticas da proteção e socorro, ao mesmo tempo procurando fazer com que estes se tornem cidadãos conscientes, fomentando-lhes valores morais e éticos de cidadania”.

“Sabemos que as crianças e os jovens são o melhor meio de transmissão da informação no seio da família. Por outro lado, a escola poderá contribuir para uma maior aproximação das famílias à corporação”, sublinhou Filipe Guimarães que, na próxima semana, irá visitar algumas escolas do concelho para promover a iniciativa.

A escola, que está também a ser promovida através das redes sociais, irá funcionar aos sábados, entre as 10:00 às 12:00, sendo que os custos dos fardamentos dos alunos serão suportados pelos pais.

A formação, a ministrar no quartel da corporação, será feita “sob a responsabilidade e a orientação do comandante do corpo de bombeiros e da equipa de bombeiros formadores”.

“Solidariedade, tolerância e entreajuda sem exclusões nem omissões são metas atingir com serenidade, coragem e sabedoria, fortalecendo a amizade e adotando atitudes positivas e dinâmicas”, lê-se na publicação de promoção da escola.

A componente pedagógica dos infantes e cadetes incidirá nas relações interpessoais, organização de bombeiros, ordem unida, preparação física, comunicações, veículos e equipamentos, eletricidade, hidráulica, construção civil, socorrismo, nós e ligações, fenomenologia da combustão, agentes extintores, incêndios florestais, incêndios urbanos e industriais, matérias perigosas, entre outras.

Além da componente pedagógica, os alunos da escola “Pinguinhas” participarão nas formaturas em dias de cerimónias oficiais ou religiosas, nas atividades do dia da unidade, acampamentos e outras atividades relacionadas com a defesa e prevenção da natureza e do ambiente, entre outras.

“Os ‘Pinguinhas’ garantirão, em termos operacionais, certamente um futuro muito risonho à associação, onde o lema ‘Vida por Vida’ continuará a pautar-se pelo espírito voluntarioso, de equipa e onde as dificuldades são um estímulo para todos aqueles que sabem e querem lutar”, sustentou.