Altominho.tv

14 trabalhos de estudantes conquistam Prémio Escolar António Manuel Couto Viana

Foram este sábado distinguidos pela Câmara Municipal de Viana do Castelo os 14 trabalhos vencedores da 14ª edição do Prémio Escolar António Manuel Couto Viana, distribuídos pelas várias modalidade e anos de escolaridade.

Na cerimónia, que aconteceu na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal, o Vereador da Educação e Cultura realçou o esforço e a dedicação dos jovens estudantes.

Recorde-se que este prémio escolar foi instituído em homenagem à vida e à obra do escritor vianense António Manuel Couto Viana, escritor, autor de literatura infantil, poeta, ensaísta, tradutor e dramaturgo.

“Esta é, pois, uma homenagem que tem por finalidade dar a conhecer a obra literária do autor e premiar produções literárias e artísticas da população infantojuvenil da comunidade escolar vianense, sob as modalidades de Conto, Ensaio, Ilustração e Poesia”, deu nota a Câmara de Viana.

O Prémio Escolar António Manuel Couto Viana é um concurso organizado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, através da Biblioteca Municipal, em parceria com as Bibliotecas Escolares dos estabelecimentos de ensino público e privado do concelho, que prevê duas fases distintas, uma que acontece nas escolas, com a seleção do melhor trabalho, e outra, a fase final, na Biblioteca Municipal, onde são apurados, de acordo com o regulamento, os melhores trabalhos por um júri idóneo.

Na presente edição foram apresentados à fase final do concurso 42 trabalhos dos alunos das escolas do concelho, públicas e privadas, e o júri deliberou premiar um total de 14 trabalhos, distribuídos pelas várias modalidade e anos de escolaridade.

Com esta iniciativa, que conta com o apoio da Editora OPERA OMNIA, a Câmara Municipal, através da sua Biblioteca Municipal, procura responder ao apelo do Manifesto da IFLA/UNESCO sobre Bibliotecas Públicas 1994 que defende a biblioteca pública como “porta de acesso local ao conhecimento – fornece as condições básicas para a aprendizagem ao longo da vida, para uma tomada de decisão independente e para o desenvolvimento cultural do indivíduo e dos grupos sociais”.