Altominho.tv

“Radar Social” vai apoiar pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade, pobreza e exclusão social

Arrancou este mês no concelho de Caminha um novo projeto de apoio a pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade, pobreza e exclusão social, intitulado “Radar Social”.

O Programa “Radar Social”, uma medida financiada a 100%, no âmbito da Componente C03 – Respostas Sociais, do PRR, está a ser implementado no Município de Caminha, “visando a identificação de pessoas, famílias e grupos em situação de vulnerabilidade, pobreza e exclusão social e da necessidade de criar e desenvolver soluções de apoio e integração social de proximidade dirigidas à população”, deu nota a autarquia.

Para a execução do projeto, “foi criada uma equipa multidisciplinar constituída por dois técnicos superiores das áreas de Sociologia e Gestão por forma a implementar um sistema integrado de georreferenciação social e de capacitação do nosso território, na ativação das respostas e otimização dos recursos, visando trazer maior eficácia à ação das entidades locais, apoiada na noção de desenvolvimento social integrado”.

A implementação do programa “Radar Social” divide-se em duas fases de operacionalização.

A primeira fase consiste na atualização dos instrumentos de planeamento como o Diagnostico Social e Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Caminha.

Já na segunda fase, segundo a autarquia, será implementado um sistema integrado de georreferenciação social. Este irá identificar pessoas, famílias e grupos, em situação de vulnerabilidade social e/ou em risco de pobreza e exclusão social, realizando, posteriormente, o devido encaminhamento e orientação para a rede dos serviços de atendimento, de acompanhamento social ou dos parceiros da Rede Social.

Segundo a vereadora da Coesão Social, Sandra Fernandes, “a execução deste projeto no concelho de Caminha é fundamental, uma vez que possibilita a implementação de um sistema integrado de georreferenciação social e de capacitação do território de Caminha na ativação das respostas e na otimização dos recursos”.

O projeto vai contribuir “para a prossecução de muitos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sobretudo, ODS 1 – acabar com a pobreza em todas suas formas e em todos os lugares; ODS 3 – garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades; ODS 10 – reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles; e ODS 11 – tornar as cidades e os povoamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

O “Radar Social” prolonga-se até março de 2026.