Altominho.tv

Caminha e A Guarda pedem ligação efetiva, regular e segura

Os Presidentes das Câmaras de Caminha e A Guarda endereçaram uma carta conjunta à Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, solicitando que seja incluída na agenda da Cimeira Ibérica, agendada para a próxima semana, em Viana do Castelo, “a possibilidade de concretização de uma ligação efetiva, regular e segura entre estes dois povos, firmando assim as relações transfronteiriças entre os dois países”.

Rui Lages e António Lomba apelam à sensibilização da governante para o tema e afirmam que o que aqui está em causa é a união dos dois povos, que desde sempre viram o rio Minho como um espaço comum que os une, “mas a verdade é que, nestes últimos tempos tem sido um espaço que nos tem separado, por contingências alheias aos próprios concelhos”.

Na carta assinada por ambos, os dois autarcas começam por recordar o património  histórico comum ecultural único, as relações de vizinhança, laços familiares,  comerciais e turísticos. Ligados por um ferryboat– Santa Rita de Cássia – durante três décadas, essa ligação foi interrompida por problemas de atracagem do lado galego, cujo cais de atracação se encontra inoperacional e a necessitar de uma intervenção da  ordem dos 500 mil euros, que não estará solucionada antes do verão do próximo ano.

A missiva ressalva também que, do lado português, o ferry encontra-se operacional,  mas parado, sendo certo também que a embarcação, de idade avançada, necessita de ser substituída por outra mais eficaz, movida a energias mais limpas e amigas do ambiente.

Motivos de sobra para, aproveitando a presença dos líderes dos dois países, discutir a questão ao mais alto nível já no dia 4 de novembro (sexta-feira) em Viana do Castelo,  na 33ª Cimeira Luso-Espanhola, que será presidida pelo Primeiro-Ministro, António Costa, e pelo Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez.