Altominho.tv

Câmara de Viana do Castelo aprova voto de pesar pela morte de Francisco Sampaio

O executivo municipal aprovou esta terça-feira, por unanimidade, em reunião ordinária, um voto de pesar pela morte, aos 84 anos, de Francisco Sampaio, antigo presidente da Região de Turismo do Alto Minho (RTAM) que morreu no último dia de 2021.

O voto de pesar, apresentado no início da reunião ordinária do executivo municipal pelo presidente da câmara municipal, Luís Nobre, destaca o “nome incontornável do turismo e da cultura popular vianense” e o “exímio divulgador e promotor dos usos e costumes locais”.

O documento recorda “o homem que foi galardoado com o título de Cidadão de Honra de Viana do Castelo, em 2004, pelos relevantes serviços prestados à cidade e à região e que foi diversas vezes homenageado pela Câmara Municipal e pela VianaFestas, entidade da qual foi colaborador incansável”.

“O falecimento de Francisco Sampaio marca de forma indelével a comunidade vianense e toda a região Norte de Portugal e da Galiza, pelo que a Câmara de Viana do Castelo aprova um voto de pesar, a endereçar à família”, sublinha o documento.

O voto de pesar refere ainda que “Francisco Sampaio, que participou na constituição da RTAM, entidade a que presidiu entre 1980 e 2009, foi também membro da Comissão Instaladora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG)do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), onde foi professor e coordenador do curso superior de Turismo, e ainda presidente do conselho pedagógico”.

Durante cerca de quatro décadas, Francisco Sampaio assumiu um papel de destaque na Romaria d’Agonia ao organizar o Cortejo histórico – etnográfico e sendo também o responsável pelo guião da Festa do Traje.

Foi ainda fundador da Confraria dos Gastrónomos do Minho. Foi autor de dezenas de títulos sobre temas de caráter histórico, arqueológico, turístico, etnográfico e gastronómico, e também colaborador de várias publicações do Alto Minho.

Foi também autor da Declaração de Interesse para o Turismo da Romaria d’Agonia, entretanto aprovada e publicada pela autarquia de Viana do Castelo.

A Câmara de Viana do Castelo aprovou, também por unanimidade, a renovação do protocolo com o Centro Humanitário do Alto Minho da Cruz Vermelha Portuguesa para garantir, em 2022, a continuidade do projeto “Saúde mais Próxima”, num investimento mensal de cinco mil euros.

Segundo dados avançados pelo vereador com o pelouro da Promoção da Saúde, a unidade móvel que integra o projeto “Saúde mais Próxima”, percorreu, no último ano, 25 das 27 freguesias do concelho e atendeu 992 munícipes, num total de 2.202 atendimentos.

A iniciativa, realizada em parceria com o Centro Humanitário do Alto Minho da Cruz Vermelha Portuguesa, “pretende promover a equidade na saúde e reforçar a rede de cuidados de saúde de proximidade no concelho, beneficiando a população e as freguesias com maiores limitações físicas e geográficas no acesso aos serviços de saúde”.

Além de prestar diversos cuidados de saúde, a Unidade Móvel de Saúde (UMS) “pode, quando necessário, promover a realização de testes rápidos no âmbito da pandemia de Covid-19”.

A aquisição daquela unidade representou, por parte da autarquia, um investimento de 15 mil euros, sendo que o apoio para a constituição de uma equipa multidisciplinar implica um investimento mensal de cinco mil euros.