Altominho.tv
PIXABAY

Politécnico de Viana vai distribuir 10 mil garrafas reutilizáveis e criar nove estações de reenchimento

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) anunciou que, no início do próximo ano letivo, vai distribuir 10 mil garrafas reutilizáveis e criar nove estações de reenchimento.

Com a implementação do projeto-piloto Refill H2O, coordenado pelo investigador do IPVC, António Curado, a instituição de ensino vai “retirar anualmente mais de uma tonelada de garrafas plásticas de utilização única” das suas seis escolas superiores.

 “Já temos contrato assinado para a fabricação das garrafas reutilizáveis e das estações de reenchimento. Vamos produzir 10 mil garrafas e vamos produzir nove estações, oito fixas para instalar nas escolas e nas residências e uma móvel para fazer a divulgação do equipamento nas escolas secundárias do Alto Minho e instituições da região que tenham interesse pelo projeto”, explicou António Curado, citado no comunicado enviado esta segunda-feira à imprensa.

O IPVC conta com o parceiro New Water Product (NWP), que é o responsável, depois da fase de conclusão da data de execução do projeto, de fazer a promoção da solução desenvolvida nas outras instituições de ensino superior. “Este parceiro está a desenvolver uma estação à medida do IPVC e dos nossos requisitos de utilização, do ponto de vista das caraterísticas da água dispensada e da comunicação da estação de reenchimento com a nossa plataforma dos Serviços de Ação Social (SAS)”, adiantou o coordenador. 

Segundo António Curado, os SAS têm uma plataforma nova online que vai permitir ao aluno ou colaborador encher a garrafa usando um chip que está incorporado na máquina que comunica quer com a garrafa quer com o cartão do aluno ou do colaborador envolvido. “Esse caderno de encargos de requisitos fomos nós que o desenhamos e o parceiro está a desenhar a estação com base nos nossos requisitos”, assegurou.

Com o arranque do ano letivo, o IPVC vai instalar as estações de reenchimento nos locais escolhidos em cada escola e residência. “As instalações do IPVC são frequentadas anualmente por mais de 5000 alunos das mais diferentes faixas etárias, nas quais são consumidas anualmente cerca de 51.000 garrafas plásticas de 0,50l e 15.000 garrafas plásticas de 1,50l. Este consumo resulta na produção de 1215Kg de resíduos plásticos”, alerta o coordenador do projeto Refill H2O.

António Curado sublinhou que, segundo dados da PORDATA, no ano 2018, “existiam no Alto Minho aproximadamente 38.139 alunos, estimando-se assim que a replicação por todos os estabelecimentos de ensino neste território iria reduzir, anualmente a produção de 9268 kg de plástico”.

O projeto Refill H2O foi considerado o melhor entre as 24 candidaturas ao programa “ambiente, alterações climáticas e economia de baixo carbono”, promovido pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC), tendo um financiamento de 140.349,64 euros para a redução do lixo marinho. Com este projeto, o IPVC pretende “contribuir para a mudança na produção e consumo de plástico”.

Segundo a instituição, a divulgação e as ações de sensibilização junto das escolas secundárias ficam a cargo da ÁREA Alto Minho – Agência Regional de Energia e Ambiente do Alto Minho, que também é copromotor do projeto.

Garrafa com a forma de uma orca em fase de registo da patente

A garrafa em forma de orca desenvolvida por alunos do curso de Mestrado em Design Integrado da Escola Superior de Tecnologia e Gestão é outros dos projetos em curso, mas será lançada posteriormente.

“Esta garrafa obedece a custos de fabricação mais elevados, já que se trata de um objeto de design, e estamos na fase de registo da patente”, anunciou António Curado.

A ideia de uma orca surgiu pelo facto de se tratar de um dos animais marinhos que mais sofre com a poluição dos oceanos, especialmente pelo excesso de plástico existente. Neste momento, esta garrafa já tem empresas interessadas na sua divulgação e colocação no mercado.