Altominho.tv

Motorizada icónica do final da década de 70 está de regresso, agora em versão elétrica

A Famel, fabricante português que se tornou conhecido no final da década de 70 com a icónica XF-17 com motor 2 tempos a gasolina, está de volta, mas agora com motor eléctrico.

A Famel (Fábrica de Produtos Metálicos), fabricou durante anos as suas motorizadas nos arredores de Águeda, com a XF-17 a ser o modelo mais conhecido, com o seu motor de 50 cc a dois tempos.

Incapaz de investir e modernizar os seus veículos, a Famel acabaria por falir e cessar produção. Agora está de volta, mercê do esforço de um grupo de engenheiros que adquiram a marca e arrancaram já com as encomendas para a e-XF, a versão electrificada da XF-17. Esta nova fase da marca Famel, mais tecnológica e amiga do ambiente, pretende contribuir para uma mobilidade individual mais sustentável.

Joel Sousa, responsável pela marca, refere que “o regresso como marca Portuguesa de Motociclos Elétricos foi uma decisão difícil por causa da herança e cultura do passado, mas abraçamos esta missão para um futuro mais limpo e afirmamo-nos perante as próximas gerações que serão também os nossos motociclistas, como uma marca voltada para o futuro”.

A Famel regressa ao final da década de 70 onde foi concebida inicialmente a XF-17. O seu design esguio, mas aspeto e performance desportivas fizeram com que fosse um dos modelos mais cobiçados e coroaram-na como a rainha das motorizadas portuguesas.

O design geral do novo modelo é idêntico ao utilizado pela XF-17 de 1978, indo ao encontro do desejo dos saudosistas, que recordarão um modelo muito popular no país e em particular no Alto Minho, e que continua a despertar paixões.

Atualmente, existe uma grande procura de motorizadas que marcaram os anos 70 e 80, tanto para uso lúdico, como para venda e restauro.
 
A AltominhoTV recorda a reportagem de um grupo de amigos que partiu no mês de abril de 2019 dos arredores de Paris, em várias motos que marcaram gerações e tiveram como destino final Arcos de Valdevez e Paredes de Coura: