Altominho.tv

Águas do Norte investe 4,3 ME em conduta com 35 anos que abastece Viana do Castelo

A empresa Águas do Norte vai investir mais de 4,3 milhões de euros na conduta de Bertiandos, com cerca de 11,4 quilómetros, construída em 1986 e que abastece a margem norte de Viana do Castelo, foi hoje divulgado. 


Em resposta por escrito a um pedido de esclarecimento enviado pela agência Lusa, a empresa explicou que a empreitada de reabilitação daquela conduta deverá iniciar-se “até ao final do ano e terá um prazo de execução de 539 dias”.


Segundo a empresa, “entre outros trabalhos a executar, a empreitada inclui a reabilitação da conduta adutora de Bertiandos, com cerca de 11,4 quilómetros, por alteração da sua tubagem através da técnica de ‘relining’, com revestimento por tubagem contínua, com a introdução de tubagem nova na tubagem existente em cerca de 10,3 quilómetros”.


A adutora de abastecimento de água às freguesias da margem norte do concelho de Viana do Castelo, a partir da captação de água em Bertiandos, em Ponte de Lima, foi construída em 1986, numa parceria entre as duas câmaras, na altura presididas por Daniel Campelo e Defensor Moura, respetivamente.


O investimento de mais de 4,3 milhões de euros que a Águas do Norte tenciona agora realizar foi lançado a concurso público, na quarta-feira.
Questionada pela Lusa a propósito da abertura do procedimento relativo à reabilitação da conduta de Bertiandos, a Águas do Norte justificou a intervenção com a antiguidade da infraestrutura.


“A atual conduta de Bertiandos, que transporta a totalidade da água fornecida às freguesias da margem norte do concelho de Viana do Castelo, tem revelado alguns problemas no seu funcionamento, associado ao facto de ser uma conduta já antiga”, sustenta a empresa.


Segundo a Águas do Norte, “as roturas que se têm verificado têm um impacto no balanço hídrico do sistema, quer pelas perdas de água que se verificam, quer por alguns constrangimentos na exploração do sistema, sendo que “grande parte do traçado desenvolve-se em terrenos particulares”.


“O valor económico associado às perdas resultantes dessas roturas justifica a implementação de medidas corretivas, consubstanciadas na remodelação que se pretende executar através da presente empreitada”, argumenta.


Responsável pela gestão da rede de abastecimento de água em alta e de saneamento básico de 63 municípios, a empresa iniciou atividade em 2015.


A Águas do Norte resultou da agregação das empresas Águas do Douro e Paiva, Águas do Noroeste, Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro, e Simdouro – Saneamento do Grande Porto, integradas no grupo Águas de Portugal (AdP), detendo “a concessão por 30 anos da exploração e gestão do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal”.