Altominho.tv

Câmara de Viana do Castelo recusa abertura antecipada de grandes superfícies

A Câmara Municipal de Viana do Castelo vai indeferir qualquer pedido de abertura antecipada por partes de grandes superfícies comerciais instaladas no concelho durante o próximo fim de semana, informou a autarquia.

“É entendimento da Câmara que a legislação em vigor mantém a impossibilidade de abertura antes das 10:00 de todos os estabelecimentos, não considerados essenciais, pelo que a autarquia vai indeferir qualquer pedido de alteração no horário”, refere uma nota hoje enviada às redações.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara justificou aquele esclarecimento com os “vários” pedidos que o município tem recebido de grandes superfícies instaladas no concelho no sentido de ser antecipada a sua abertura.

“Temos recebido pedidos em catadupa e por isso decidimos comunicar que não vamos autorizar a antecipação de horários de abertura. Vão manter-se tal qual estão definidos”, reforçou o socialista José Maria Costa.

No próximo fim de semana, em 191 concelhos de maior risco de contágio pelo novo coronavírus, há limitação de circulação entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

Segundo o decreto que regula a aplicação do estado de emergência decretado pelo Presidente da República, são permitidas as “deslocações a mercearias e supermercados e outros estabelecimentos de venda de produtos alimentares e de higiene, para pessoas e animais”.

Nestes estabelecimentos, lê-se no diploma, “podem também ser adquiridos outros produtos que aí se encontrem disponíveis”.

O Governo decretou também o recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, nos municípios mais afetados pela pandemia.

Além de Viana do Castelo, no Alto Minho, também Caminha, Valença, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Ponte de Lima e Arcos de Valdevez integram a lista de concelhos de maior risco de propagação da covid-19.

Apenas Monção, Melgaço, Ponte da Barca estão fora dessa classificação.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.328.048 mortos resultantes de mais de 55 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.553 pessoas dos 230.124 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.