Altominho.tv

Câmara de Viana do Castelo cede três viaturas para cuidados de saúde domiciliários

A Câmara de Viana do Castelo cedeu temporariamente três viaturas à Unidade Local de Saúde do Alto Minho para assegurar a prestação de cuidados de saúde domiciliários à população do concelho, foi hoje divulgado.

Em comunicado hoje enviado às redações, a autarquia da capital do Alto Minho adiantou que a cedência das três viaturas foi formalizada através de um protocolo assinado pelas duas entidades, sendo que a iniciativa integra o projeto “Saúde Mais Próxima”. 

Os veículos “foram entregues na terça-feira e estão já disponíveis para a realização de cuidados domiciliários nos centros de saúde onde se efetuou a reabertura de extensões de saúde, nomeadamente Centro de Saúde de Viana (Extensão de Lanheses) e Centro de Saúde de Darque (Extensão de Saúde de Castelo do Neiva, Chafé, Vila Franca e Moreira de Geraz)”.

Em outubro, numa parecia entre o município e a ULSAM, começaram a reabrir as 10 extensões de saúde do concelho. Faltam entrar em funcionamento três, na margem esquerda do rio Lima: a extensão da vila de Alvarães, prevista para o final deste mês, e duas nas freguesias da zona norte do concelho, Afife e Carreço.

O protocolo agora assinado entre a autarquia e a ULSAM “reconhece o interesse municipal na abertura das diversas extensões de saúde, pela importância que estas infraestruturas têm na prestação de cuidados de saúde de proximidade, pelo facto de a permitirem aumentar o número de infraestruturas que assegurem a prestação de cuidados de saúde”. 

“A abertura das extensões de saúde impele para uma necessária disponibilidade de viaturas para o restabelecimento de atividade domiciliária, que atualmente a ULSAM não consegue assegurar tendo em consideração o estado pandémico que o país atravessa e ao qual o município vianense não é alheio”, sustenta o documento.

 A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.263.890 mortos em mais de 50,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.021 pessoas dos 187.237 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.