Altominho.tv

Candidatura para construção de novo centro de saúde em Alvarães avança em 2021

A Câmara Municipal vai formalizar, em 2021, uma candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência, no valor de um milhão de euros, para a construção de um novo centro de saúde em Alvarães, na margem esquerda do rio Lima. 

“A candidatura do novo centro de saúde de Alvarães, para servir o Vale do Neiva, vai ser formalizada no próximo ano. O investimento será de um milhão de euros”, afirmou o presidente da Câmara, José Maria Costa.

O autarca adiantou que a Câmara irá “ceder o terreno”, na envolvente do cemitério da freguesia, e “apoiar financeiramente o novo equipamento, garantindo a componente nacional para que o projeto avance rapidamente”.

“Temos de aproveitar o próximo quadro comunitário de apoio que começa já em janeiro e o Plano de Recuperação e Resiliência que prevê financiamentos a 100% nas áreas social e da saúde. Temos de fazer o trabalho de casa e preparar os projetos, como é o caso deste”, referiu à margem de uma visita às instalações provisórias da extensão de saúde de Alvarães, que abrirá até final do mês.

José Maria Costa explicou que a construção daquela unidade foi avaliada em parceria com a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), concluindo-se que a Alvarães “reúne os requisitos técnicos essenciais para ter um centro de saúde”.

“Os centros de saúde existentes estão a trabalhar acima das suas possibilidades. Nas proximidades, o centro de saúde de Barroselas não é suficiente para acudir a todas as situações. O novo equipamento a instalar em Alvarães irá reforçar as respostas no Vale do Neiva”, justificou, adiantando estar em curso “o projeto para a requalificação da envolvente do cemitério”, local onde ficará situada a nova unidade.

Na ocasião, o presidente da Câmara de Viana do Castelo disse ainda que a candidatura da empreitada de construção do novo centro de saúde da freguesia urbana da Meadela vai ser formalizada este mês.

“O novo centro de saúde da Meadela é uma prioridade. A candidatura vai avançar no final do mês de novembro”, observou.

Em junho, o autarca explicou que a construção daquele centro de saúde, “prevista no plano de atividades e orçamento para 2020, “foi aprovada pela ULSAM, sendo que a autarquia expropriou, por utilidade pública, o terreno necessário à construção, na Praça Minho-Lima, na Meadela”.

José Maria Costa disse que o novo equipamento é “premente”, numa freguesia que “está a crescer e a ganhar dimensão”.

Em fevereiro, a Câmara de Viana do Castelo aprovou por unanimidade a Declaração de Utilidade Pública (DUP) do terreno para a construção da nova USF.

“A atual extensão de saúde da Meadela funciona num espaço pertencente à Casa do Povo, edifício desqualificado e sem as desejáveis condições de funcionamento, nomeadamente ao nível das acessibilidades a pessoas com mobilidade reduzida, para um equipamento de saúde moderno, bem como à crescente densidade populacional, a qual se tem consolidado nas últimas décadas”, sustentava a proposta da maioria socialista, aprovada em fevereiro.

A construção da Unidade de Saúde Familiar da Meadela “é considerada absolutamente estruturante e indispensável à rede de equipamentos de saúde no concelho”.

Em maio de 2019 a Câmara de Viana do Castelo iniciou naquela freguesia obras de requalificação da envolvente de um bairro social, num investimento superior a 600 mil euros, para preparar o início do novo projeto de saúde.

A intervenção, com conclusão prevista para o final do ano, visa “a melhoria da circulação rodoviária, de estacionamento e de requalificação da Praça Minho-Lima”, local para onde, segundo o autarca socialista, irá regressar, após a conclusão da empreitada, a feira da freguesia.