Altominho.tv

Viana do Castelo investe mais de 2,6 ME na rede de drenagem de águas residuais

A Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje, por unanimidade, a adjudicação de obras de ampliação da rede de drenagem de águas residuais em oito freguesias do concelho, num investimento superior a 2,6 milhões de euros.

As empreitadas, a realizar em freguesias situadas nas margens direita e sul do rio Lima, acontecem no âmbito da parceria existente com a Águas do Alto Minho, nova entidade gestora das águas na região.

As intervenções hoje aprovadas em reunião camarária vão decorrer nas freguesias de Cardielos, Serreleis, Torre e Vila Mou, na margem direita do rio Lima, e Mujães, Barroselas, Vila de Punhe, e Castelo de Neiva, na margem sul.

A Águas do Alto Minho é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca, Monção e Melgaço – reprovaram a constituição daquela parceria.

A nova empresa começou a operar em janeiro, cobrindo “uma área de 1.585 quilómetros quadrados, e está dimensionada para fornecer mais de nove milhões de metros cúbicos de água potável, por ano, a cerca de 100 mil clientes e para recolher e tratar mais de seis milhões de metros cúbicos de água residual, por ano, a cerca de 70 mil clientes”.

No período antes da ordem do dia da sessão ordinária de hoje, a vereadora da CDU, Cláudia Marinho, questionou o executivo de maioria socialista sobre “a falta, há cerca de duas semanas, de médico e pessoal administrativo no Centro de Saúde de Afife”. Na resposta, o presidente da autarquia, José Maria Costa, disse desconhecer a situação, garantindo que irá indagar sobre o caso.

Já os dois vereadores do PSD, Paula Cristina Veiga e Hermenegildo Costa, questionaram sobre o “atraso” nas obras de construção do acesso rodoviário ao porto de mar da cidade.

Na resposta, o autarca socialista afirmou que os trabalhos “não estão parados” e explicou que “foi necessário realizar 100 pontos de sondagem num dos troços da nova via, uma vez que nas proximidades estão situados vestígios arqueológicos”, referindo-se “à Senhora do Castro, na zona de Neiva”.

“A obra segue a muito bom ritmo”, assegurou, acrescentando que a nova ligação estará concluída “até final do mês de julho”.

Em causa está uma rodovia com 8,8 quilómetros, que ligará o porto comercial ao nó da Autoestrada 28 (A28) em São Romão de Neiva, permitindo retirar o tráfego de pesados do interior de vias urbanas, num investimento de mais de 5,3 milhões de euros.

A obra é financiada pela Câmara Municipal de Viana do Castelo e pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).