Altominho.tv

Valença aprova investimento de 19,6 milhões de euros para 2020

A Câmara de Valença aprovou um orçamento para 2020 no valor de 19,6 milhões de euros, menos 1,2 milhões de euros do que em 2019.

Segundo a autarquia, liderada por Manuel Lopes, trata-se de “um orçamento realista, de continuidade e focado nas famílias e na dinamização económica e social”.

Em comunicado, o município adianta que “continuar a política de atração e fixação de investimento industrial, reforçando os polos industriais do concelho, incentivando o empreendedorismo, o emprego, a fixação de jovens e a criação de micro empresas inovadoras, é uma das alavancas estratégicas”.

A conclusão da quarta fase da requalificação da Fortaleza de Valença, do Complexo Escolar da EB 2/3 Muralhas do Minho, da Ecovia das Veigas do Rio Minho, dos Passadiços do Mosteiro de Sanfins, do Parque Urbano de São Pedro da Torre, dos acessos ao Parque Empresarial de Valença, o avanço da Valença Cidade Ciclável, a requalificação da entrada Norte de Valença e do novo cais em São Pedro da Torre são, segundo o executivo, “algumas das obras que vão marcar o concelho em 2020”.

O município destacou ainda a candidatura da Fortaleza à UNESCO, a valorização do património da Fortaleza e do Mosteiro de Sanfins, a aproximação de Valença ao rio e a dinâmica comercial e de eventos âncora como “prioridades para dinamizar a atratividade turística de Valença”.

A educação, a cultura e o desporto são áreas prioritárias no novo orçamento. “Reforçar os índices de desenvolvimento de Valença, continuando a aposta em mais e melhor educação, ajudando e encontrando soluções para quem verdadeiramente mais precisa e proporcionando cultura e desporto a toda a comunidade é um braço de ação municipal reforçado neste orçamento”, lê-se naquela nota.

“Este é um orçamento verdadeiramente focado nas pessoas”, realça a autarquia, acrescentando que “Valença continuará a reforçar a política de impostos baixos para as famílias, tanto no IRS, como no IMI”.

“As empresas e os investidores encontrarão um concelho atrativo, em matéria fiscal de incentivos, tanto na indústria, como no turismo, comércio e agricultura, com as taxas de impostos mais baixas de Portugal e todo um pacote de incentivos”, conclui o município.