Altominho.tv

Parceria luso-espanhola viabiliza exercícios de proteção civil e novos equipamentos

Um projeto de colaboração entre os serviços de emergência de Portugal e Espanha, que termina em novembro, permitiu a realização de três exercícios em conjunto em 2019, bem como a aquisição de equipamentos de socorro.

“O projeto termina no final deste ano, em novembro de 2019. Ainda não está confirmado se haverá uma nova candidatura do consórcio, esse assunto ainda não está decidido”, afirmou o 2.º comandante da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR, Marco Marques, em declarações à agência Lusa.

De acordo com Marco Marques, em breve haverá “uma resposta”.

O projeto ARIEM+ tem como finalidade a cooperação ao nível de proteção civil entre Portugal e Espanha, envolvendo as zonas de Viana do Castelo, Braga, Viseu, Vila Real, Bragança e Guarda, e melhorar a gestão conjunta de situações de emergência.

A parceria transfronteiriça possibilitou já a realização de um exercício em Mogadouro, no distrito de Bragança, e dois em Espanha, nas zonas de Salamanca e Ourense.

“Do lado espanhol foram dois exercícios de incêndios florestais”, contou Marco Marques.

Em Portugal, o exercício de simulação de um resgate de cinco pessoas lesionadas, durante a prática de montanhismo, ocorreu também com o envolvimento de várias entidades portuguesas e espanholas: “Foram acionadas equipas de busca e resgate de Portugal e Espanha. Tiveram de desenvolver várias ações de resgate nas arribas do Douro, que fazem parte do concelho do Mogadouro”, indicou Marco Marques.

O ARIEM+ foi dotado de cerca de três milhões de euros, financiados em 75% por fundos da União Europeia através do programa de cooperação transfronteiriça INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

Numa nota enviada à agência Lusa, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) referiu que o principal beneficiário do projeto foi a Agência Galega de Emergência (AXEGA).

Ao instituto português coube o montante cerca de 30.637 euros.

O INEM indicou também que ainda está em fase de aquisição de equipamentos que permitirão a operacionalização, o atendimento e gestão da resposta a casos de emergência médica nas regiões transfronteiriças do norte do país.

No caso da GNR, o projeto permitiu a aquisição de duas embarcações, dois reboques, três camiões-cisterna, quatro câmaras térmicas, duas carrinhas, cinco equipamentos de desencarceramento, 110 aparelhos de respiração autónoma e cerca de 13 mil detetores de fumo, entre outros.

“A Guarda Nacional Republicana, através do projeto, adquiriu dois barcos, diverso material para montanhismo, para incêndios florestais… Adquirimos também material para as equipas de matérias perigosas e também de drones”, sublinhou Marco Marques.

Com o envolvimento de várias entidades, o ARIEM+ ainda se encontra em execução entre a região Norte de Portugal e as regiões espanholas da Galiza e de Castela e Leão.

Além da AXEGA, do INEM e da GNR, o projeto envolve a Agência de Proteção Civil da Junta de Castela e Leão, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte, a CCDR do Centro e a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho.