Trabalhadores de residência sénior de Viana alegam incumprimento de contratos

Cerca de 50 trabalhadores de um empreendimento geriátrico, em Areosa, Viana do Castelo protestaram hoje contra o incumprimento, por parte da administração da empresa, da contratação coletiva, disse à Lusa o dirigente sindical, Francisco Figueiredo.

A empresa não aplica a contratação coletiva e, deste modo, quer fugir aos direitos dos trabalhadores, designadamente a tabela salarial em vigor, diuturnidades, subsídio noturno, trabalho em dia feriado com 200%, majoração de férias e demais direitos contratuais”, explicou o sindicalista.

O dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Hoteleira, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte adiantou “ter sido solicitada uma reunião à administração da empresa, que não teve resposta”.

“Realizaram-se reuniões na Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), mas a administração da empresa, numa posição intransigente, recusou aplicar a contratação coletiva e, por isso, esta ação de protesto visou denunciar publicamente esta situação e fazer o que é possível para que os direitos dos trabalhadores sejam garantidos”, explicou Francisco Figueiredo.

Questionado sobre ações futuras, o sindicalista adiantou que “irá pedir intervenção da ACT e se for caso disso, se os trabalhadores o entenderem, encetar a via judicial ou a realização de greves”.

“Neste momento, esta ação de protesto é uma primeira forma de pressão para que a empresa reconsidere e cumpra as normas da contratação coletiva”, reforçou.

Segundo o sindicato, a ACT “já informou que a administração das Residências Bellavida tem de aplicar a contratação coletiva da hospitalização privada aos trabalhadores afetos ao serviço de cuidados continuados e a contratação coletiva da hotelaria aos trabalhadores afetos ao serviço de alojamento”.

Contada pela Lusa, a administração da empresa remeteu esclarecimentos para mais tarde.

Fonte: Lusa