Altominho.tv

Ministro enaltece trabalho do Politécnico de Viana no auxílio ao combate à pandemia da Covid-19

O Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, elogiou ontem o trabalho que tem sido desenvolvido pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo no auxílio ao combate à pandemia da Covid-19.

O Ministro que visitou na tarde de segunda-feira as instalações da Unidade de Microbiologia Aplicada [UMA], que se encontra sediada na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPVC, e que vai começar a realizar testes de despistagem à Covid-19, sublinhou a relevância desta mobilização do IPVC para a região do Alto Minho.

“Aproveito para fazer o reconhecimento público pelo trabalho que tem sido feito pelo IPVC em adaptar as suas infraestruturas e laboratórios, neste caso o laboratório de Microbiologia, que foi devidamente preparado, adaptado e certificado para este efeito. Desde a semana passada que a UMA passou a ser mais um laboratório certificado que se veio juntar à rede constituída por cerca de 21 laboratórios, em instituições académicas e científicas, que estão a contribuir no auxilio à despistagem da Covid-19 no âmbito de um protocolo estabelecido com o Ministério do Trabalho e Solidariedade Social e do Ministério da Coesão. Um protocolo que tem um público muito específico que são os cuidadores dos lares. Há data de hoje já estão realizados cerca de 20 mil testes”, sublinhou o ministro.

Manuel Heitor destacou ainda a relevância desta mobilização por parte do Politécnico de Viana do Castelo para a região do Alto Minho.

“A zona do Alto Minho é particularmente significativa porque tem mais de 60 lares e por isso foi muito importante o Politécnico de Viana do Castelo ter-se mobilizado para adaptar o laboratório para prestar este serviço à população desta região, porque irá fazer um trabalho deveras importante. Há que reconhecer e enaltecer este que é um esforço coletivo que a academia, os investigadores que se mobilizaram para prestar este serviço relevante agora mais centrado nos lares e depois mais centrado nas creches”.

O ministro aproveitou para sublinhar que “se trata de um processo deveras importante fazer estes testes, obviamente que os testes não curam, mas são essenciais para prevenir a propagação da pandemia.