Altominho.tv

Caminha investe 20 mil euros para emprestar material informático a alunos

A Câmara de Caminha vai investir cerca de 20 mil euros para distribuir ‘tablets’ e acesso à Internet e garantir o ensino à distância aos alunos do 2.º e 3.º ciclos e secundário, identificados pelo agrupamento de escolas.

Em comunicado enviado às redações, aquela autarquia do distrito de Viana do Castelo referiu que a medida prevê “a mobilização de, pelo menos, 82 ‘tablets’ e 60 ‘routers’ que estarão disponíveis para os alunos durante os próximos três meses de modo a que todos possam acompanhar as aulas síncronas (sessões em tempo real) previstas pelos professores até ao final do ano letivo”.

Desde 16 de março que todos os estabelecimentos de ensino estão encerrados, por decisão do Governo para tentar controlar a disseminação do novo coronavírus.
Mais de dois milhões de crianças e jovens, desde creches ao ensino superior, ficaram em casa e a maioria tem aulas à distância através de plataformas ‘online’ ou trocas de e-mails com os seus professores.

“A prioridade será dada aos alunos do secundário que terão que realizar exames nacionais a breve trecho e, para estes, o município vai disponibilizar já 30 ‘tablets’ que tem na sua reserva estratégica”, especifica a nota.

O município acrescentou que, “nos próximos dias serão adquiridos os restantes instrumentos telemáticos bem como os ‘routers’ que sejam considerados necessários”.

Para o presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, citado na nota, “a intenção foi reagir rápido, bem e com justiça”.

“Sabemos que o Governo planeia avançar com um plano de distribuição de portáteis já no início do próximo ano letivo e não fazia sentido substituirmo-nos ao Estado e adquirirmos computadores para os distribuirmos, sem critério, por toda a população escolar. Mas tínhamos de reagir já porque as aulas recomeçaram e, assim, avançamos com a aquisição de meios e com o empréstimo dos mesmos, sem distinguir condições económicas de famílias”, observa o autarca socialista.

Miguel Alves adianta que “o objetivo foi emprestar a cana de pesca para que os alunos, todos os alunos, pudessem aprender a pescar”.

A Câmara de Caminha disponibiliza ainda “cada uma das suas escolas EB1 para receber alunos que possam ter alguma dificuldade na ligação com os seus professores e colegas”.

“O acolhimento de cada estudante cumprirá todas as regras de segurança e permitirá resolver problemas informáticos que possam surgir. Além disto, a rede complementar de apoio criada pelo município para entrega de alimentos e medicamentos ao domicílio foi alargada à tarefa de distribuição de apontamentos, fichas de estudo ou material escolar pelos alunos que deles necessitem”, acrescenta a nota.

A identificação dos alunos e das necessidades resultou do “trabalho conjunto realizado pelo agrupamento de escolas Sidónio Pais e as Juntas de Freguesia do concelho de Caminha”.

Portugal contabiliza 820 mortos associados à covid-19 em 22.353 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde sobre a pandemia.

Portugal cumpre o terceiro período de 15 dias de estado de emergência, iniciado em 19 de março, e o decreto presidencial que prolongou a medida até 02 de maio prevê a possibilidade de uma “abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais”.