Altominho.tv
UNSPLASH

Entregas à Porta: Valencianas lançam plataforma para ajudar os portugueses com as encomendas online

Muitos portugueses estão em casa e têm procurado alternativas para as suas compras de bens essenciais. Alguns optam pelas mercearias e minimercados mais próximos das residências, mas outros estão a apostar em serviços de entrega ao domicílio, para evitar ao máximo as deslocações em tempo de pandemia.

Cláudia Pinheiro, designer e gestora de marketing, apercebeu-se, através de grupos criados na rede social Facebook, que “havia uma necessidade de partilhar e procurar negócios que fazem entregas ou serviços online e ao domicílio”. No entanto, por essa informação não estar organizada toda num só local, não era fácil encontrar os serviços e produtos necessários, principalmente se forem comercializados pelos pequenos negócios, com menor presença na internet.

Para ajudar com as encomendas online, principalmente dos negócios locais, a designer de 40 anos decidiu criar uma plataforma onde qualquer empresa pode registar o seu negócio de entrega à porta, seja a domicílios, a empresas ou até a escritórios. “Na sequência do momento difícil em que o país vive atualmente, tomei a iniciativa de criar um diretório nacional gratuito”, explica Cláudia.

O projeto ‘Entregas à Porta‘ começou a ser desenvolvido a 20 de março, com a ajuda de Diana Pinheiro. As duas irmãs naturais de Valença têm trabalhado a ideia à distância através de plataformas online, desenvolvendo desde a criação do site, gestão e validação dos registos até ao trabalho de divulgação.

Restaurantes, farmácias, talhos, drogarias, empresas de reparações, de limpezas e jardinagem, e negócios de serviços online na área do ensino, marketing e consultas, são alguns exemplos de empresas que se podem inscrever. A plataforma já soma mais de 185 empresas de todo o país. No distrito de Viana do Castelo, conta atualmente com 11 empresas registadas.

“Sendo um projeto com caráter solidário, os registos são totalmente gratuitos”, refere Claúdia, acrescentando que “qualquer pessoa do país pode aceder livremente ao site e saber que empresas fazem este tipo de serviços para a sua zona”.

O objetivo é “ajudar os portugueses a terem, de uma forma simples e num só local, acesso às empresas que fazem entregas ou serviços ao domicílio”.