Laboratório instalado em Viana cria inovação para retalhistas

A XnFinity e a Microsoft apresentaram, hoje, em Viana do Castelo, o laboratório de inovação partilhada, já em funcionamento, que cria soluções tecnológicas concebidas para dar resposta às necessidades do comércio de retalho e digital.

“Nós vamos criar soluções de acordo com as necessidade de inovação dos retalhistas. Por exemplo, a solução de pagamentos com reconhecimento facial. O risco é enorme por causa da lei de proteção de dados. O laboratório pode fornecer esses serviços mediante as necessidades do comércio de retalho ou do comércio digital”, explicou o administrador da XnFinity, Orlando Ribas Fernandes.

O responsável, que falava aos jornalistas numa unidade hoteleira situada na Praia Norte, junto à zona empresarial com o mesmo nome onde está situado o pavilhão, propriedade da Câmara de Viana do Castelo, onde vai nascer o laboratório, explicou que “a inteligência artificial vai ser o foco principal” da inovação.

A XnFinity e a Microsoft assinaram, hoje, um acordo de colaboração que formalizou a criação do laboratório de inovação de retalho partilhado e incubação, que vai começar a funcionar, “a 100%”, a partir de janeiro.

“Vamos criar inovação para várias áreas de atividade, desde supermercados, lojas de roupa, farmácias, comércio digital. Essas empresas, em vez de investirem milhões em equipas de inovação, partilham a nossa com outros retalhistas, diminuindo os custos da inovação, bem como os riscos”, sublinhou.

No imediato, será iniciado recrutamento de técnicos “altamente qualificados”.

“Queremos constituir uma empresa com 40 profissionais, altamente qualificados, com mestrado ou doutoramento em inteligência artificial , engenharia de ‘software’ entre outras áreas”, especificou.

Natural de Viana do Castelo, a residir na freguesia urbana de Meadela, Orlando Ribas Fernandes, 38 anos, decidiu investir na terra natal por considerar que nas grandes cidades a “criatividade é afetada”.

“Com o oceano Atlântico como cenário e com a qualidade de vida de Viana do Castelo, há inspiração para criar”, referiu Orlando Ribas Fernandes.

“Vendo as tendências, necessidades e lacunas, começamos a trabalhar com a Microsoft para lançar um laboratório inovador para o retalho, onde os custos e riscos poderiam ser partilhados por diferentes retalhistas.”, disse.

Além da equipa de inovação, o laboratório também incluirá tecnologias de outras ‘startup’, criando “uma visão completa e única do retalho do futuro”.

O laboratório também terá uma loja real – com clientes e compras reais – onde todas as inovações e ‘startup’ serão testadas e validadas antes de serem oferecidas aos retalhistas”.

Atualmente, “o laboratório já possui várias soluções, como análise de sentimento do cliente, análises através de ‘machine’ ‘learning’ e ‘deeplearning’.

Já as soluções de ’startup’ incluem robótica, soluções para comércio eletrónico e soluções de inteligência artificial para lojas”.

Já Paul Maher, da Microsoft, sublinhou ser um “orgulho” por fazer parte da parceria.

“O serviço oferecido pelo XnFinity economizará tempo e dinheiro, ao mesmo tempo que dará aos empreendedores uma arena para testar os seus produtos em situações reais e obter resultados significativos”, referiu.

Presente na sessão de apresentação do laboratório, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, disse tratar-se de “um projeto muito ambicioso, em que a Microsoft deposita grande esperança”.

“Este laboratório vem juntar-se a outras empresas que temos neste setor. Viana do Castelo começa a posicionar-se como uma cidade com um ecossistema muito interessante na área das novas tecnologias e ‘software’”, destacou.

O autarca socialista adiantou que o laboratório fica situado “a cerca de 45 minutos de três universidades”, apontado como exemplo o Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

José Maria Costa observou ainda que o município “oferece facilidade e apoio na instalação de novos projetos empresariais, criando um ambiente favorável ao investimento, à inovação”.