Altominho.tv

Câmara avança com obra para travar sinistralidade em acessos a Ponte de Lima

A Câmara de Ponte de Lima vai avançar com a empreitada de remodelação da via Foral Dona Teresa, de acesso àquela vila do Alto Minho, para prevenir a sinistralidade na Estrada Nacional (EN) 203, informou o município.

De acordo com a Câmara de Ponte de Lima, presidida por Victor Mendes (CDS-PP), “a intervenção visa dotar a Via Foral de D. Teresa (designação daquele troço da EN 203) de melhores condições de segurança, tendo em conta os vários acidentes mortais ocorridos nos últimos anos”.

O prazo de execução da obra, “após a consignação dos trabalhos, é de cinco meses e o valor previsto da empreitada ronda os 775 mil euros, sendo que cerca de 400 mil euros são suportados pela Infraestruturas de Portugal (IP)”.

A decisão de iniciar a requalificação daquela via foi aprovada, na última reunião camarária.

“A via em causa é um dos principais acessos à vila de Ponte de Lima, integrando uma malha urbana plenamente consolidada, onde se localizam diversos espaços e equipamentos públicos educativos e desportivos, bem como estabelecimentos de comércio e de serviços”, refere o município.

A decisão de avançar com a empreitada resultou de um acordo estabelecido entre a Câmara de Ponte de Lima e a IP.

“Embora os encargos de gestão da manutenção deste troço de estrada nacional não estivessem sob a tutela da autarquia, mas sob a jurisdição da IP, ambos celebraram um acordo de gestão, decorrente da atitude proativa por parte do município, para que a intervenção possa ser efetivada. Este acordo de gestão permitirá ao município avançar com a intervenção, enquanto dono da obra”, explicou a autarquia.

O projeto de reabilitação prevê “o tratamento da travessia urbana, incluindo o reordenamento de acessos e a reformulação de interceções, através da construção de duas rotundas de forma a reduzir a velocidade de circulação automóvel”. 

A empreitada “inclui também a execução de um separador central, infraestruturas, iluminação, ciclovia e vias pedonais da envolvente urbana, para uma maior segurança do peão”.

Em novembro, um movimento cívico criado em Ponte de Lima promoveu uma vigília para “sensibilizar peões e automobilistas” para a necessidade de prevenir a sinistralidade na EN 203.

A vigília surgiu na sequência de um atropelamento, que causou a morte de uma mulher de 56 anos.

Já em novembro de 2017, a Câmara de Ponte de Lima tinha aprovado um voto de protesto por a IP não avançar com a requalificação daquela via.

Fonte: Lusa

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.