Centenas de alunos procuram na Mostra da Universidade do Porto orientação profissional

Centenas de alunos do 9.º e 12.º anos visitaram hoje a 17.ª Mostra da Universidade do Porto (U.Porto) para, através das diversas atividades, “se aproximarem das profissões que poderão exercer”, disse a professora Bárbara Rangel.

Esta iniciativa, que decorre este ano na zona da Cordoaria, no Porto, tem como objetivo mostrar a U.Porto à cidade e à população.

Bárbara Rangel, docente do departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia (FEUP), explicou que a banca que representa “tenta mostrar, com recurso a equipamentos, onde está a Física e a Engenharia Civil” no ambiente da sua instituição “e o papel do engenheiro civil na construção desse ambiente.”

A mostra tem como função “aproximar os alunos pré-universitários das profissões que poderão exercer e perceber como as matérias que lecionam na escola se refletem nas profissões que sonham”, acrescentou a responsável.

Naomi Zangger, presidente do Núcleo de Estudantes de Biologia da Faculdade de Ciências da U.Porto, explicou que a mostra apresenta atividades que fazem no curso, “desde a comparação anatómica entre vertebrados e invertebrados, humanos e chimpanzés, e ainda a genética, a microbiologia e a pipetagem”.

A estudante de Biologia contou que aparecem muitos alunos “indecisos entre Biologia, Bioquímica e Ciências do Meio Aquático”, e a mostra permite-lhes “retirar imensas dúvidas sobre o plano curricular, as saídas profissionais e a carga horária”.

“Fui recrutado e estou aqui, na banca da Faculdade de Engenharia, para mostrar que a engenharia eletrotécnica pode ser divertida e pode servir para muitas coisas do quotidiano”, explicou à Lusa Sérgio Teixeira, aluno do mestrado em Engenharia Eletrotécnica.

O estudante da Faculdade de Engenharia conversava com os alunos do básico e secundário num ‘stand’ com uma pista de carros que saltam numa curva de 360 graus, numa tentativa de lhes explicar onde entram as disciplinas no quotidiano.

“A pista de carros mostra como se pode misturar engenharia mecânica com a energia elétrica e quem quiser experimentar roda a manivela e os carros andam à volta da pista”, descreveu o aluno.

A mostra da Faculdade de Belas Artes oferece aos participantes “aulas abertas de pintura, desenho e origami e tem ainda disponíveis diários gráficos para consulta”, descreveu Raquel Almeida, aluna de Pintura daquela instituição.

Paula Macedo, professora de História do ensino secundário, levou os seus alunos da Escola Básica e Secundária de Infias, em Vizela (Braga), à mostra da U.Porto, porque “é muito importante (…) para formarem uma ideia sobre as faculdades que estão numa área geográfica acessível à sua formação”.

A docente sublinhou a importância de incluir os alunos dos cursos profissionais a visitas sobre o ensino superior: “Os cursos profissionais já foram vistos como uma limitação aos alunos no acesso à universidade. Mas, neste momento, as próprias instituições académicas estão a criar formas para estes alunos terem um acesso apropriado ao ensino superior”.

Andreia Magalhães, aluna de Ciências e Tecnologias do 12.º ano na Escola Básica e Secundária de Paredes de Coura (Viana do Castelo), está “inclinada para a área da saúde” e considerou que esta iniciativa lhe vai permitir retirar muitas dúvidas, dando-lhe “uma ideia mais prática dos conteúdos de cada curso”, informação que não consegue “apenas pesquisando na Internet”.

Vítor Silva, organizador do evento, destacou que esta está “a ser uma edição recorde”, com a visita de cerca de “cem grupos de escolas do Norte e Centro”.

“Estamos a falar de dois dias muito intensos, quinta e sexta-feira, com quase dez mil alunos inscritos para visitarem a nossa 17.ª mostra da U.Porto”, disse.

No fim de semana é esperado que “as famílias visitem a mostra”, afirmou Vítor Silva, destacando que, “para além do espaço no coração da cidade, a fachada sul do edifício da Reitoria da Universidade do Porto recebe um autocarro da Faculdade de Ciências, em parceria com a Fundação ‘A Caixa’, chamado ‘Creactivity’”.

A 17.ª edição espera, até domingo, ultrapassar os 15.000 visitantes que estiveram presentes na edição anterior.

Fonte: Lusa